18/03/2021
Coronavírus: Coren-RS defende ampliação de medidas restritivas em reunião da Assembleia Legislativa

A conselheira Sônia Regina Coradini representou o Conselho Regional de Enfermagem do Rio Grande do Sul (Coren-RS) em reunião da Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa (AL) nesta quarta-feira, 17 de março. A atividade, realizada em caráter extraordinário, tratou da situação da rede hospitalar do Estado, com diagnóstico sobre disponibilidade de leitos, recursos humanos, equipamentos e insumos, tudo dentro do contexto da pandemia de Covid19. Em nome do Conselho, Sônia reforçou que a capacidade de atendimento é finita e defendeu que sejam tomadas medidas mais restritivas no objetivo de conter o aumento de pessoas contaminadas com o Coronavírus.

“Assim como há um colapso financeiro, relatado pelas instituições, há um colapso de recursos humanos que atuam na área da saúde. Não há como dar conta de um número cada vez maior de pacientes com Covid19 e com agravamento de quadro, necessitando de hospitalização”, enfatizou a conselheira.

Na reunião, foi passado um diagnóstico atualizado e foram discutidas alternativas para a resolução de problemas. Entre as necessidades apontadas, representantes das instituições hospitalares destacaram a situação de colapso com falta de medicamentos, equipamentos e falta de custeio financeiro para dar conta das demandas aumentadas em função da pandemia. As entidades que representam as(os) trabalhadoras(es) e a sociedade em geral apontaram a necessidade de enfrentamento da pandemia com austeridade e manutenção da bandeira preta pelo governador Eduardo Leite. Além disso, foi destacado a responsabilização do Governo Federal na falta de políticas eficientes no enfrentamento da pandemia e na vacinação em massa.

Dados da Secretaria Estadual da Saúde (SES) apresentados na reunião dão conta de que houve um acréscimo de 1.361 leitos de UTI em um ano, sendo 370 em 2021. A titular da pasta, secretária Arita Bergmann, sugeriu que, no momento, emendas parlamentares sejam direcionadas para o custeio desta demanda. Arita ainda relatou a disponibilização para Porto Alegre de 50 leitos no Hospital Partenon e um hospital de campanha na Restinga (com oito leitos de UTI e 12 leitos clínicos). Também citou o recebimento de respiradores que serão distribuídos para hospitais e UPAs, além de medidas empreendidas pelo Estado para compra de equipamentos, medicamentos e insumos.

Fonte: Setor de Comunicação e Eventos – Coren-RS
Jornalista Ronan Dannenberg
DRT/RS 13.181