Contato / Chat
LiveZilla Live Help
COREN-RS
Acesso do Profissional

CADASTRE-SE | LEMBRAR SENHA

Acesso à Informação
Página inicial >>> SERVIÇOS >>> Notícias

 versão para impressão

02/02/2023
Cofen vai ao Planalto cobrar Piso Salarial e outros direitos da Enfermagem
Em audiência, Conselho ofereceu ajuda para o enfrentamento de calamidades e cobrou a regulamentação das indenizações para órfãs(os) de profissionais de saúde vítimas da Covid19


Alexandre Padilha (ao centro) e Betânia Santos (à direita)

A presidente do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), Betânia Santos, se reuniu com o gabinete do ministro de Relações Institucionais da Presidência da República, Alexandre Padilha, nesta terça-feira, 31 de janeiro, para reiterar a necessidade de regulamentar urgentemente a aplicação do Piso Nacional da Enfermagem. Neste momento, falta apenas a publicação de uma Medida Provisória pelo Governo Federal normatizando a Lei 14.434/21, para remanejar recursos dos fundos públicos federais e colocar os valores no contracheque da categoria.

“Continuamos trabalhando diariamente e dialogando com todos os setores do Governo, do parlamento e do judiciário para garantir a efetivação do Piso Salarial da Enfermagem em tempo hábil. Precisamos que a categoria também continue pressionando as lideranças políticas de todas as formas possíveis, nas ruas e nas redes sociais, para que a gente conclua esse processo de uma vez por todas. As fases mais difíceis já foram superadas. Percebo que existe vontade política. Eu acredito que vamos concretizar essa conquista”, enfatizou Betânia.

Acompanhada do seu chefe de gabinete, Magno Guedes, do coordenador da Comissão Nacional de Enfermagem Forense do Cofen, Antônio Coutinho, e do coordenador da Comissão Nacional de Urgência e Emergência, Eduardo Fernando de Souza, Betânia também solicitou a aprovação do Projeto de Lei 3105/21, que normatiza a atuação da Enfermagem Forense no atendimento a vítimas de violência, e a regulamentação urgente da Lei 14.128/21, que prevê o pagamento de indenização de R$ 50 mil a 210 mil para órfãs(os) de profissionais de saúde que perderam a vida na linha de frente contra a Covid19.

Em relação à regulamentação da Enfermagem Forense, Antônio Coutinho pontou a importância da atividade para a preservação de provas e elucidação de crimes. “Vítimas de violência geralmente ingressam nos serviços de saúde e a atuação do enfermeiro forense pode ser fundamental para colher vestígios, garantir elementos de prova e reduzir índices de violência. Atualmente, esse trabalho é normatizado por meio de resolução do Cofen. Entretanto, precisamos de uma regulamentação federal para estabelecer a prática em todo o país”, considerou.

Durante a audiência, o Cofen pediu a revogação da Nota Técnica 21/2021 do Ministério da Saúde (MS), que contraindica a inserção de dispositivo intrauterino (DIU) por profissionais de Enfermagem e ofereceu o suporte da equipe de resposta rápida do conselho ao Governo, com o objetivo de auxiliar o poder público no enfrentamento de situações de calamidade e desastres naturais.

Além dos representantes do Cofen, também participaram da audiência o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Saúde do Estado de São Paulo (Sinsaúde-SP), Jefferson Caproni, que esteve acompanhado de seu vice-presidente Reinaldo Andrade e da chefe de gabinete Thabata Fuzatti.

Fonte: Ascom - Cofen

Compartilhe esta notícia com outras pessoas:

Outras noticias

28/05/2024
Abertas as inscrições para o 26º CBCENF


28/05/2024
SOS Chuvas: alerta sobre riscos e prevenção de síndromes respiratórias em abrigos no RS


28/05/2024
SOS Chuvas: orientações de cuidado para trabalhadores em inundações e enchentes


27/05/2024
SOS Chuvas: guia orienta população sobre limpeza das casas após enchentes


 
 
Atendimento apenas por agendamento prévio. Clique aqui para agendar seu horário.
Av. Plínio Brasil Milano, 1155 - Bairro Higienópolis - Porto Alegre/RS - CEP 90520-002 - Fone (51) 3378.5500
©2016 - COREN-RS - Desenvolvido pela Assessoria de Tecnologia da Informação do COREN-RS